Notícias

 
Dicas de Saúde IMIP: a importância da vacinação na primeira infância

Para proteger a garantia de direitos básicos das crianças de 0 a 6 anos de idade, a participação da família é imprescindível. Está na lei: o Estatuto da Criança e do Adolescente diz que a família, com o apoio da comunidade e do governo, deve criar, educar, proteger as crianças e garantir o seu desenvolvimento.

Nos primeiros meses de vida, cuidar da saúde é muito importante, porque é nesta fase que os bebês correm maior risco de adoecer e morrer. As vacinas protegem os bebês das doenças graves. Por isso, a família deve ficar atenta às vacinas; o cartão de vacinação deve ser preenchido rigorosamente.

O médico do IMIP,  Dr. Eduardo Jorge da Fonseca, tira abaixo as principais dúvidas sobre vacinas e prevenção de doenças.

Por que as crianças devem ser vacinadas?
Quando você leva o seu filho para ser vacinado, você o estará protegendo de doenças graves que colocam a sua vida em risco. Desde o nascimento, a criança enfrenta desafios para adaptar-se ao mundo. A evolução da medicina oferece muitas contribuições  para tornar esta difícil jornada nos primeiros anos de vida, mais  saudável e segura. É aqui que as vacinas têm fundamental importância.

As vacinas são seguras?
As maiorias das crianças não apresentam reações após a vacinação. Algumas crianças têm reações leves, como irritação ou um pouco de dor no local da injeção. É muito rara uma reação mais grave. A vermelhidão e a dor no local da injeção são os efeitos mais freqüentemente observados. Não representam, na maioria das vezes,  motivo de preocupação.

Outra reação muito comum é a febre moderada. A febre pode indicar que a resposta do organismo do seu filho foi satisfatória, ou seja, ele ficou protegido daquela doença para qual foi vacinado. As vacinas atuais são altamente eficazes na proteção de crianças contra as doenças; provocam menos reações e ainda reduzem a  necessidades de várias picadas.

Quais as doenças que são  protegidas pelas vacinas usadas de rotina e padronizadas pelo  Ministério da Saúde do Brasil?
Atualmente o calendário vacinal protege de Tuberculose, Hepatite B, Difteria, Tétano, Coqueluche, Pólio, Doenças graves pelo hemófilo influenza tipo B, Sarampo, Caxumba e Rubéola.

O que é a Tuberculose e como evitá-la?
A vacina contra Tuberculose é a BCG. Ela atua prevenindo as formas mais graves. A tuberculose é uma doença muito contagiosa e transmitida pelo ar. A doença ataca em geral os pulmões, podendo evoluir para complicações como a meningite, a peritonite, etc. O diagnóstico nem sempre é fácil, e o tratamento é difícil e prolongado. A vacina é aplicada ao nascimento e com um reforço aos 10 anos.

E a hepatite B?
A hepatite B é causada por um vírus (tipo B). É transmitida pelo sangue, seja através de transfusões sanguíneas, punções de veia com material contaminado, pelo parto ou ainda pelo contato com familiares próximos na 1ª infância. Pode tornar-se crônica, levando a graves complicações como a cirrose ou o câncer de fígado. É tanto mais grave, quanto mais precoce a infecção. Por isso o mais correto é vacinar de forma precoce, de preferência ainda na maternidade.

Por que os recém-nascidos são susceptíveis à  hepatite B?
Porque muitas mães são portadoras do vírus e não sabem disso, infectando os seus filhos. Os recém-nascidos contaminados podem tornar-se portadores crônicos. Uma entre cada quatro crianças, que contraem hepatite B de suas mães, pode desenvolver câncer hepático ou cirrose.

Qual o risco para outras crianças?
As crianças têm uma vida agitada com muitas brincadeiras e travessuras. Por vezes, podem ocorrer quedas e ferimentos, aumentando o risco de contágio pelo sangue. Também o contato em creches com as trocas de chupetas, as mordidas, aumentam o risco da transmissão do vírus.

Criança,  adolescente e adultos também podem ser vacinados contra a hepatite B?
Todas as pessoas que ainda não tiveram a doença, ou que não foram vacinadas ao nascer, devem ser vacinadas.

Existe um número de doses necessário para uma proteção eficaz?
Sim. Três doses

E a vacina tríplice? Por que esse nome?
Exatamente porque ela oferece proteção contra 3 doenças: a difteria, o tétano e a coqueluche.
Difteria - é uma doença muito perigosa transmitida pelo ar. Os sintomas são febre, fraqueza e dificuldade para respirar. Pode, além disso, causar problemas cardíacos, dos rins e paralisia.
Tétano - é uma doença fatal causada por uma bactéria muito resistente e que pode estar em quase toda parte, como na terra, na poeira doméstica, além dos objetos enferrujados. É adquirida através da contaminação de ferimentos. Provoca forte contração dos músculos, chegando até a fratura de ossos, além de impedir a respiração normal.
Coqueluche - é uma doença muito grave causada pela bactéria pertussis (por isso o "P" da vacina DPT). Também conhecida como tosse comprida, pode causar complicações respiratórias (pneumonia), nutricionais e neurológicas como convulsões e dano cerebral.

Como se protege dessas doenças?
Como já comentamos, essa três doenças são protegidas pela vacina tríplice bacteriana (DPT), cujo esquema vacinal consta de três doses no 1º ano de vida (2º,4º e 6º mês) e um reforço aos 15 meses.

É verdade que esta vacina causa muita reação?
Realmente, entre todas as vacinas do calendário,  esta é a que causa um pouco mais de reação.  Porém,  a maioria são reações leves,  dor local ou febre baixa, facilmente controlada com o uso de remédios para febre como o paracetamol  ou a dipirona.

O que é Poliomelite?
É uma doença grave, causada pelo vírus da poliomelite que tem três tipos: 1, 2 e 3. Pode ser transmitido pela água, alimento ou o ar. Afeta músculos e nervos, podendo causar paralisia permanente de qualquer músculo; torna difícil a locomoção, o ato da alimentação e chega até a impedir a respiração, podendo  levar ao óbito. Felizmente, o último caso de poliomielite no Brasil foi registrado em  1989 na Paraíba. Isso foi um dos maiores sucessos da medicina no século passado, o desenvolvimento da vacina para a poliomielite pelo cientista Albert Sabin.

Como é uma vacina que é administrada na forma de gotinhas,  facilita bastante o seu uso e foi responsável pela redução dos casos de pólio em todo o mundo. O seu esquema é igual à vacina DPT, ou seja, três doses no 1º ano de vida (2º,4º e 6º mês) e um reforço aos 15 meses. Para se garantir a adequada erradicação da poliomielite no Brasil, ainda são programadas campanhas de vacinação que mobilizam todo país.

O que é Haemophilus influenzae tipo b  e quais as doenças que ele causa?
Haemophilus influenzae tipo b (HIB) - é a bactéria que causava mais  meningite em crianças abaixo dos 5 anos. Além de meningite o HIB causa outras infecções como: pneumonia, otite, entre outras. Pode deixar seqüelas permanentes nas crianças  que tiveram meningite, como retardo psicomotor e surdez.

Já existe vacina nos postos de saúde que protege contra essa bactéria ?
Sim, no calendário do Ministério da Saúde já contamos com esta vacina que atualmente é administrada junto da DPT. É a chamada vacina tetra (DPT + HIB)

O que é Sarampo? Como se protege?
É uma das doenças mais contagiosas que existem.  É causada por um vírus,  levando a febre, coriza, conjuntivite, tosse, diarréia e uma erupção cutânea bem característica. Debilita o organismo e deixa a criança suscetível a outras infecções. Atualmente o esquema de vacina consta de uma dose aplicada aos 12 meses de idade e uma segunda aos 15 meses, administrada junto da vacina de caxumba e rubéola na chamada vacina tríplice viral (MMR).
A tríplice viral protege então do sarampo da caxumba e da rubéola. Fale um pouco sobre essas duas outras doenças.
Caxumba - é causada por um vírus. Provoca a inflamação das glândulas salivares acarretando dor e desconforto. Nas crianças é habitualmente uma infecção benigna. Entretanto, nos adultos,  pode atingir outros órgãos e provocar  infertilidade.
Rubéola -  também é causada por vírus. Trata-se de uma doença muito contagiosa que provoca sintomas brandos e uma erupção na pele. Sua maior importância é que quando atinge uma gestante pode provocar aborto ou infeccionar o feto,  deixando seqüelas para o resto da vida, principalmente problemas para o coração,  a visão e o cérebro.



Publicado em: 11.10.2010
 
     
 

Rua dos Coelhos, 300 Boa Vista - Recife - PE - Brasil. CEP 50070-550.
Tel. (81) 2122.4100 - Fax: (81) 2122.4703 - E-mail: imip@imip.org.br - Caixa Postal 1393